• Demo Image
  • Demo Image
  • Demo Image

São Tomé & Príncipe

Bem vindo ao paraíso

Tudo nos é familiar. Tudo nos é reconhecido. Tudo faz sentido: as pessoas, as cidades, as cores, os cheiros, as paisagens, o azul impossível do mar… tudo. É uma experiência fascinante, quase anacrónica. É como um dejá-vu em que as casas, os edifícios e as ruas nos trazem à memória histórias ricas, antigas, de épocas que estas cidades viveram, em tempos idos.

É a luxúria das cores, dos grandes espaços, onde o verde explode em simultâneo com todos os outros tons primários numa paleta de cores sem fim, onde a intensidade das transições do azul do mar se encontra com a irmandade das suas próprias tonalidades, qual arco-íris marinho que circunda as duas ilhas verdejantes, e que mexe de forma explícita com todos os nossos sentidos – mesmo aqueles que não sabiamos que existiam. É a descoberta da natureza umbilicalmente ligada ao regresso a raízes que a todos nos tocam. É o sentir das praias desertas, da magia das florestas, da doçura do povo e de todas as memórias antigas das roças de cacau e café.

Aterrar nesta esta ilha é como chegar ao tal paraíso que nos falam desde pequenos e que sempre pensámos como seria. Sentimo-nos bem e, tal como os descobridores portugueses João de Santarém e Pedro Escobar quando aqui chegaram pela primeira vez, somos invadidos por uma onda de alegria e felicidade, alternada pela ânsia e pelo desejo da descoberta, onde nos sentimos actores principais num registo cinematográfico neo-realista.

O segredo nesta ilha é entrar devagar, de forma “leve, leve”, típica deste povo e como os próprios definem. É descobrir uma candura desarmante e desconcertante, e uma forma de estar calma, tranquila, que nos induz à paz e nos seduz por completo. É apenas aquela “força” a quem chamamos de mãe-natureza, que nos remete àquelas parasidíacas paisagens tropicais que nos anestesiam e nos impele de respirar de outra forma e com mais prazer. Sabe bem viver um dia atrás do outro, não ter pressa de viver, viver tudo com tempo e deixar o tempo passar. Até porque este tempo vai chegar sem nunca chegar ao fim, nestes momentos em que a perfeição se cruza com a realidade e nos transporta para um mundo só nosso.

É bom viver São Tomé e Príncipe. É bom porque faz sentido. É como chegar ao paraíso.

Cacau e Roças
Tal como a ternura deste povo, o cacau é um dos cartões-de-visita destas ilhas. Tal como a doçura destas gentes, o cacau é bom, sabe bem, e alguns momentos difíceis das nossas vidas acompanhou-nos, acariciou-nos, deu-nos apoio, esteve lá… numa barra de chocolate.

Mar Azul
É bom deleitarmo-nos com a intensidade das transições em que o azul se encontra com a irmandade das suas próprias tonalidades, qual arco-íris marinho que circunda as duas ilhas verdejantes.

Gente e a pesca
É fácil fazer amizades neste arquipélago. É fácil e é bom. Pela candura e pela humildade. E vamos com os mesmos em pescarias ou procurar pelos muitos frutos existentes nas densas selvas destas ilhas.

Lagoa Azul
Mais selvagem que Cabo Verde, mais perto dos europeus do que as Caraíbas, mais desenvolvido que muitas das nações africanas e uma relação estreita com os portugueses, este é um país à espera de ser descoberto. Ou não fosse considerada a porta de embarque para… o paraíso.

Pestana
O PESTANA SÃO TOMÉ é o primeiro e único 5 Estrelas em São Tomé e Príncipe. Com vistas panorâmicas sobre o mar, tem todo o conforto e sofisticação que procura num hotel. Espaços amplos, salas de conferência e um leque variado de opções de lazer, sob a bandeira da internacionalmente reconhecida marca Pestana Hotels & Resorts.

A beleza deste luxuriante hotel é complementada pelo Condomínio de Luxo Pestana Vila Maria, situado a poucos metros do hotel, assim como por um Casino, uma Discoteca, Piscina exterior, Health Club/Spa e uma excelência de diversos outros serviços para quem procura o local ideal para umas férias descontraídas ou para negócios, num local moderno e requintado.

Em tons ocre, este edifício está fora da atmosfera de uma capital adormecida no tempo, mas na verdade satisfaz por completo os desígnios do nosso próprio conforto. É como estar em casa no paraíso.

Flores
Se às vezes digo que as flores sorriem,
E se eu disser que os rios cantam,
Não é porque eu julgue que há sorrisos nas flores
E cantos no correr dos rios…
É porque assim faço mais sentir aos homens falsos
A existência verdadeiramente real das flores e dos rios.
Porque escrevo para eles me lerem sacrifico-me às vezes
À sua estupidez de sentidos…
Não concordo comigo mas absolvo-me,
Porque só sou essa cousa séria, um intérprete da Natureza,
Porque há homens que não percebem a sua linguagem,
Por ela não ser linguagem nenhuma.

Alberto Caeiro

Hoteis
Melhor do que sentir que se está em casa é mesmo estar como na nossa própria casa.
Desporto
Para além da cor que nos convida a um mergulho, tudo o resto é divino.

Praias
Se houve lugar em que Deus um dia descançou, esse lugar só poderia ser aqui…

Dança de crianças
Soltam o que mais pura têm nelas, deixando os espíritos antigos tomar conta dos seus gestos, dos seus passos e de mãos dadas com uma doce ingenuidade, tão caractrística das suas tenras idades, dançam para espantar energias e enaltecer os seus antepassados.

Sorrisos
Há algo mais doce e verdadeiro do que um sorriso de uma criança?

Trópicos
As nuvens são sombrias
Mas, nos lados do sul,
Um bocado do céu
É tristemente azul.
Assim, no pensamento,
Sem haver solução,
Há um bocado que lembra
Que existe o coração.
E esse bocado é que é
A verdade que está
A ser beleza eterna
Para além do que há.

Fernando Pessoa

Luz
Raio de mil cores que se vê de todas as pontas do Universo, em que tudo tem ínico aqui, da forma à matéria, da vida à morte, da felicidade plena às lágrimas de perca… tudo faz sentido.

Prazer Tropical
É como estar no paraíso à beira-mar plantado. Somos levados a desfrutar de sensações ao ritmo a que se deseja descobrir algo mais, tal como uma vegetação exuberante, entrecortada por numerosos cursos de água e riachos, bem como relevos acidentados de altitudes diferentes são exemplos da magia reinante ali. Magia essa que, ora em terra, ora no mar, se faz sentir intensamente e nos torna a nós, ironicamente, escravos de uma ilha.

Arquitectura
Na área arquitectónica, a fortaleza de São Sebastião, a catedral da Santa Sé (Igreja da Sé), situada ao lado do Palácio Presidencial, o Arquivo Histórico e outros tantos edifícios de inspiração barroca são espaços de visitas culturalmente enriquecedoras.

S. Tomé
Há mais, muito mais, mas cabe a nós descobrir… ou não fosse considerada a porta de embarque para o paraíso.